Segundo a OMS, devemos parar de comer carne vermelha e/ou processada?

No dia 26 de outubro de 2015, a Organização Mundial de Saúde (OMS) declarou que "o consumo de carne vermelha pode ser carcinogênico para humanos”; e que "o consumo de carnes processadas também poderia ser carcinogênico", baseado na associação observada, principalmente, em câncer coloretal. A conclusão da OMS foi de que a cada 50g consumidas de carnes processadas, o risco de desenvolver câncer coloretal aumentaria em 18%. O artigo encontra-se aqui, porém atualmente com acesso restrito.

Então nós devemos parar de comer carne vermelha e/ou carne processada?

Primeiramente, vamos olhar da onde saíram esses dados.
Essa declaração da OMS veio a partir de uma publicação de estudos observacionais. Sabidamente na literatura científica, os estudos observacionais, não são os melhores em termos de buscar uma evidência científica de causa e efeito, que realmente represente a verdade. Em outras palavras, são estudos que são fracos em poder, com segurança, provar causa e efeito de qualquer tratamento/alimento para qualquer doença.

Mais ou menos para se entender melhor como é conduzido este tipo de estudo, as pessoas participantes do estudo completam questionários, no caso, dos alimentos que consumiram e então durante determinado período de tempo, se avalia os dados para ver ser existe alguma associação que não seja apenas casual.

Esses estudos podem observar uma associação, que significa que 2 coisas podem andar na mesma direção, mas não que uma seja a causa da outra e isto muda completamente a perspectiva de analisar essas conclusões. Não é porque 2 coisas andam juntas que uma é causa da outra e vice-versa. Um exemplo clássico é aquele de que quem usa mais isqueiro, tem mais câncer de pulmão. Isto é verdade e incontestável. Mas não é o isqueiro que causa o câncer, e sim o hábito de fumar. Mas o uso de isqueiro e câncer de pulmão estão intimamente associados.

Bom, então podemos pensar que os dados que deram suporte as declarações foram baseados em estudos fracos em termos de força de evidência científica e com isto podem não estar representando a realidade.
carne na dieta

Além disso, nem todas as carnes frescas e processadas são iguais. Não acredito que entre 10 países, poderíamos considerar que as carnes são iguais e o processamento das carnes embutidas é o mesmo. Nesse estudo não houve sequer diferenciação entre o processamento das carnes. Assim como a origem das carnes, se o gado alimentava-se com grãos, ou com pasto, etc. Além do preparo que certamente deve influenciar e varia enormemente entre os avaliados. Então, como conseguiriam avaliar esses 2 tipos de alimentos se na verdade representam uma gama enorme de alimentos de origens e processamentos variados. Se esses dados fossem detalhados a esse nível, poderiam aumentar a acurácia dos achados e assim nos aproximar da realidade e dar mais peso as conclusões da OMS.

Enfim, eu entendo que esses dados não são fortes suficientes para mudar a minha opinião em relação ao consumo de carnes vermelhas e carnes processadas. Nossa natureza é carnívora, e chegamos até aqui principalmente graças a isto.

Acredito que o processamento de carnes feito em casa, com sal, defumado, curado, é muito melhor do que aquele feito pela indústria. Devemos evitar o consumo de todos os alimentos processados industrialmente, pois aí pode entrar aditivos que realmente não sabemos quais todas consequências podem ter! Agora dizer que todas carnes e embutidos são iguais não acho prudente, pois as consequências podem ser muito maiores. Acredito que muita gente por aí vai reduzir o consumo de carnes, e talvez substituir por alimentos muito piores.